Asclepio, Vol 67, No 1 (2015)

A assistência à doença no Alto Minho oitocentista: o caso do hospital de Nossa Senhora da Visitação de Caminha


https://doi.org/10.3989/asclepio.2015.09

Alexandra Esteves
Universidade Católica Portuguesa e Investigadora do Lab2PT, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Portugal

Resumen


O presente trabalho tem como objetivo analisar o papel desempenhado pelo hospital da Misericórdia de Caminha na assistência à doença, durante o século XIX. Nesse sentido, através da atividade desenvolvida por esta instituição e pelos profissionais que nela trabalhavam, procuraremos conhecer as respostas que então eram proporcionadas no âmbito da prestação de cuidados de saúde à população. Temos ainda como objetivo evidenciar as particularidades que caracterizavam o quotidiano daquela unidade hospitalar, considerando os doentes que a procuravam e as enfermidades de que padeciam e tendo ainda presente o contexto económico e social que, na centúria de oitocentos, marcava a vila alto minhota de Caminha.

Palabras clave


Hospital; Misericórdia; Caminha, Doentes; Enfermidades

Texto completo:


HTML PDF XML

Referencias


Alves, Jorge Fernandes (2002), “Imigração de galegos no Norte de Portugal (1500-1900)”. Em: Eiras Roel, Antonio y Domingo González Lopo (coord.), Movilidad e migrácions internas na Europa latina, Santiago de Compostela, Unesco, pp. 117-126.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2000), Dar aos pobres e emprestar a Deus: as Misericórdias de Vila Viçosa e Ponte de Lima (séculos XVI-XVIII), Barcelos, Santa Casa da Misericórdia de Vila Viçosa e Ponte de Lima.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2003), “O hospital do Espírito Santo de Portel na Época Moderna”, Cadernos do Noroeste, Série História 3, 20, (1-2), pp. 341-498.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2005), “Misericórdia de Caminha”. Em: Capela, José Viriato (coord.), As freguesias do distrito de Viana do Castelo nas Memórias Paroquiais de 1758. Alto Minho: Memória, História e Património, Braga, Casa Museu de Monção, Universidade do Minho, pp. 668-669.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2006), “Os hospitais de Ponte de Lima na era pré-industrial”, Separata do livro Atas do século XVIII Seminário Internacional sobre Participação, Saúde e Solidariedade – Riscos e Desafios, Braga, ICS, pp. 481-492.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2008a), A Misericórdia de Monção: fronteira, guerras e caridade (1561-1810), Braga, Misericórdia de Monção.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2008b), “Pequenos e pobres: a assistência nas Misericórdias portuguesas da Idade Moderna”. Em: Araújo, Maria Marta Lobo de; Maria de Fátima Ferreira (Orgs.), A infância no universo assistencial da Península Ibérica (sécs. XVI-XIX), Braga, Instituto de Ciências Sociais, pp. 135-149.

Araújo, Maria Marta Lobo de (2010), A Misericórdia de Vila Viçosa de finais do Antigo Regime à República, Braga, Santa Casa da Misericórdia de Vila Viçosa.

Araújo, Maria Marta Lobo de y Alexandra Esteves (2010), “Healing the Body and Saving the Soul in the Portuguese Hospitals of the Early Modern Age”, Hygiea Internationalis: An Interdisciplinary Journal for the History of Public Health, 9 (1), pp. 35-52. http://dx.doi.org/10.3384/hygiea.1403-8668.109135

Carasa Soto, Pedro (1985), El sistema hospitalario español en el siglo XIX. De la asistencia benéfica al modelo sanitário atual, Universidad de Valladolid, Caja de Ahorros y Monte de Piedad de Salamanca.

Carasa Soto, Pedro (1987), Pauperismo y Revolucion burguesa (Burgos 1750-1900), Universidad de Valladolid.

Cascão, Rui (2011), “Modos de habitar”. Em: Vaquinhas, Irene, História da Vida Privada em Portugal. A época contemporânea, Lisboa, Círculo de Leitores, 2011, pp. 22-55.

Castro, Maria de Fátima (2008), A Misericórdia de Braga. A Assistência no Hospital de S. Marcos, vol. IV. Santa Casa da Misericórdia de Braga.

Durães, Margarida (2006), “As mulheres estrangeiras no noroeste de Portugal: imigrações femininas galegas do ponto de vista português (Sécs. XIX-XX)”. En: Hérnandez Borge, Julio y Domingo L. González Lopo (Edits.), Atas del Colóquio Internacional Cátedra Unesco 226 sobre Migracións, Santiago de Compostela, Universidade de Santiago de Compostela Publicacións, pp. 133-150. PMid:17268394

Esteves, Alexandra Patrícia Lopes (2010), Entre o crime e a cadeia: Violência e marginalidade no Alto Minho (1732-1870), Tese de doutoramento policopiada. Braga, Universidade do Minho.

Feijó, Rui Graça (1992), Liberalismo e Transformação Social. A Região de Viana do Antigo Regime a finais do Liberalismo, Lisboa, Fragmentos. PMid:1410744

Fernández Cortizo, Camilo (2006), “La emigración gallega a las províncias portuguesas del Miño y de Trás-os-Montes y Alto Duero durante el siglo XVIII y la primera mitad del XIX”. En: Congresso Internacional de História. Territórios, Culturas e Poderes. Atas, vol. I, Braga, Núcleo de Estudos Históricos, Universidade do Minho, pp. 41-58.

Ferraz, Norberto Tiago Gonçalvez (2008), “O tratamento de doentes no hospital de Cabeceiras de Basto”, Estudos Humanísticos. História, 7, pp. 237-259.

Gómez Rodríguez, Maria Soledad (1991), El Hospital de la Misericordia de Toledo en el siglo XIX, Tese de doutoramento policopiada. Universidad Complutense de Madrid, pp. 292-305.

Leal, João (2000), Etnografias Portuguesas (1870-1970). Cultura Popular e Identidade Nacional, Lisboa, Publicações Dom Quixote.

Lopes, Maria Antónia (2000), Pobreza, Assistência e Controle Social. Coimbra (1750-1850), vol. 1. Viseu, Palimage Editores.

Pardal, Rute (2007), “A Criação dos filhos dos pobres e dos tinhosos: um aspeto esquecido da assistência da Misericórdia de Évora no século XVIII”, Congresso Internacional de História. Territórios, Culturas e Poderes, Atas, vol. II. Braga, Núcleo de Estudos Históricos, Universidade do Minho, pp. 757-766.

Pereira, Maria das Dores de Sousa (2008), Entre Ricos e Pobres: a atuação da Santa Casa da Misericórdia de Ponte da Barca (1630-1800), Braga, Santa Casa da Misericórdia de Ponte da Barca.

Ramos Martínez, Jesús (1989), La Salud Pública y el Hospital de la Ciudad de Pamplona en el Antiguo Régimen (1700-1815). Pamplona, Gobierno de Navarra.

Relvas, Eunice (2002), Esmola e degredo. Mendigos e Vadios em Lisboa (1835-1910), Lisboa, Livros Horizonte.

Resende, Maria Leônia Chaves de y Natália Silveira (2009), “Misericórdias da Santa Casa: um estudo de caso das práticas médicas nas Minas Gerais Oitocentistas”. Em: Araújo, Maria Marta Lobo de (Org.), As Misericórdias das duas margens do Atlântico: Portugal e Brasil (séculos XV-XX), São Paulo, Carlini e Camiato, pp. 67-92.

Rodrigues, Henrique (1995), Emigração e Alfabetização. O Alto Minho e a Miragem do Brasil, Governo Civil de Viana do Castelo.

Roque, João Lourenço (2000), “Epidemias no distrito de Coimbra no Século XIX”, Separata da Revista Portuguesa de História, Tomo XXXIV, pp. 1-152.

Vicente, Ana (2001), As Mulheres Portuguesas vistas por Viajantes estrangeiros (séculos XVIII, XIX e XX), Lisboa, Gótica.

Ujvari, Stefan Cunha (2003), A História e suas Epidemias. A convivência do homem com os microrganismos, Rio de Janeiro, Editora Senac Rio, Editora Senac São Paulo. PMCid:PMC1809963




Copyright (c) 2015 Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)

Licencia de Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.


Contacte con la revista asclepio.cchs@cchs.csic.es

Soporte técnico soporte.tecnico.revistas@csic.es