Asclepio, Vol 49, No 1 (1997)

Natureza, jardins botánicos e utopia


https://doi.org/10.3989/asclepio.1997.v49.i1.383

Ana Luisa Janeira
Coordenadora do Centro Interdisciplinar de Ciência, Tecnologia e Sociedade da Universidade de Lisboa. Professora Associada do Departamento de Química da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Portugal

Resumen


[pt] No mundo ocidental, o diálogo com a Natureza —ideias, comportamentos e práticas— não foi sempre o mesmo. Em qualquer dos casos, os jardins correspondem sempre a um modo singular de criar planos e construções —fronteiras entre a realidade e o imaginário, entre o possível e o impossível, entre a fuga e a reconstrução— o que ocorre nomeadamente nos jardins botânicos, porquanto a relação entre o microcosmos e o macrocosmos atinge aqui contornos de harmonia idealizada.

Texto completo:


PDF


Copyright (c) 1997 Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)

Licencia de Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.


Contacte con la revista asclepio.cchs@cchs.csic.es

Soporte técnico soporte.tecnico.revistas@csic.es